MENU

Navegue pelas veredas do Vereza clicando nas opções abaixo:

sábado, 21 de setembro de 2019

CADÊ AS PROMESSAS DE CAMPANHA?

Nada pior que relativizar os desvios do governo Bolsonaro. Não é possível que tenhamos saídos do absurdo lulopetista para cairmos em outro absurdo. Ora, é evidente que toda uma armação está sendo feita para proteger Flavio, e seus rolos com o Queiroz, com a aquiescência do presidente e o aval de Toffoli, presidente do stf.

Somente altas doses de fanatismo para negar o enfraquecimento da operação Lava-Jato e de seu símbolo maior - Sergio Moro. O fato de Bolsonaro não ter respeitado a lista tríplice na escolha do procurador geral, e ter escolhido Aras, de nítidas ligações pretéritas com a esquerda, demonstra mais uma vez, a estratégia de blindagem de Flavio, que está empenhado, sem disfarces, em abafar a operação Lava-Toga.

Enquanto isso setores esquerdistas da Policia Federal, armam "mesa de trabalhos" para o vagabundo ladrão de Curitiba, de onde dá seguidas entrevistas replicadas pela mídia, cúmplice do meliante, que deve ser solto ainda em Setembro.

Só a intervenção do Plano Espiritual de Luz para salvar o Brasil.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Lista negra.

Surge agora um tal Allan Santos e sua lista negra. A figura, segundo Lobão. mora numa mansão em Brasilia,  bancada por Eduardo Bolsonaro. Só entram bolsonaristas fanáticos nesta lista. Estou fora. O que mais falta para ficar claro que as promessas de campanha foram para o espaço? Bolsonaro teve quatro sérios livramentos: a facada e quatro operações, e a ficha não caiu; que ele deve unir o país e não repetir o nós contra ele do vagabundo preso em Curitiba.

Pelo visto são os filhos acima de todos. Pouco me importa que o Ministério seja um dos melhores dos últimos anos, se a "estratégia" política esteja mantendo tensionado o Brasil e abrindo terríveis possibilidades para a esquerda - leia-se, a quadrilha petista -, voltar ao governo.

No mundo a esquerda vai retornando: na Argentina, em Israel, e já não se sabe se a reeleição de Trump está garantida.

O fanatismo como pauta.


terça-feira, 17 de setembro de 2019

ACORDÃO VERGONHOSO!

Toffoli, Maia, Acolumbre e Bolsonaro. O que eles têm em comum?

O desmonte da operação lava-jato. O único movimento de resgate da cidadania, através de juízes e procuradores, que conseguiu atingir os chamados corruptos de alto coturno, julgando e prendendo 155 ativistas de assalto ao erário público.

Mas não era Brasil acima de todos? Ou mudou para alguns acima do Brasil? Mas a verdade não nos libertará? Até quando teremos que colocar questões que são no mínimo constrangedoras? A quem protegerá a liquidação da operação que tem o apoio unânime das pessoas de bem do país?

Se tal ocorrer teremos um retrocesso sem precedentes com a vitória do sistema que mantém a Nação como usos e frutos de uma elite jurídico-politico, que sequer se ruboriza por liderar esse atraso que, por inacreditável que pareça, tem por último objetivo a liberação do vagabundo ladrão preso em Curitiba.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

NOVO FASCISMO


O fanatismo no facebook atingiu níveis preocupantes. Tipico ambiente para gerar os ovos da serpente. Lamentavelmente, Bolsonaro e filhos nada fazem para desanuviar esse sectarismo, pelo contrário, parecem depender dele para uma "estratégia" que mantém tensionado o clima politico no país.

A toada é a mesma de sempre tocada nesses meses do governo: Carlos, 02, tuíta assustadoras mensagens que não são desmentidas pelo pai que parece referendá-las. Um governo em clima de campanha permanente. O presidente ao invés de agregar os vários segmentos da sociedade, separa-os com uma agressividade que tornou-se marketing de sua administração

O autoritarismo entranha-se nas redes sociais. Qualquer critica, honesta, por pessoas que apoiaram Bolsonaro, são imediatamente rotuladas como "esquerdistas infiltrados!" Nada muito diferente dos fanáticos lulopetistas.

Prefiro preservar minha saúde mental. É desgastante e mesmo inútil tentar qualquer tipo de diálogo. A complexidade de pensamento não cabe neste veículo tão maltratado por esta horda de característica rigorosamente fascistas! Fico por aqui.

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

O BOM FILHO A CASA VOLTA.

Impossível estabelecer um diálogo razoavelmente produtivo no facebook. Não me considero superior às demais postagens, em geral, mas há uma furia incontrolável e tristemente sectária que impede as melhores intenções.

Abandonei, por longo tempo, este blog que conta com mais de quatro milhões de visualizações, para tentar, humildemente, acrescentar, além da polarização, e do extremismo, algo que pudesse ser mobilizador de trocas produtivas de ideias. Inutil paisagem.

Por respeito às minhas convicções retorno de onde não deveria ter saido. Sejam bem-vindos os que quiserem acessar esses rabiscos.

terça-feira, 7 de maio de 2019

OS TENTÁCULOS IDEOLÓGICOS

Tentáculos. É sobre essa imagem que me remete a esquerda. Tentáculos. Agarram-se às pedras ideológicas, de vários matizes. Ou, como ostras. Secularmente entranhadas às pedras - essas inofensivas.

O que faço, as 5 horas da madrugada, visualizando um inacreditável polvo. Na ponta de cada tentáculo, surgem rostos: Stalin, Lenin, Fidel, Chaves, Guevara, Lula, Maduro;  sugando a história, e adaptando-a ao vetusto mantra que começou, lá atrás, muito antes da Escola de Frankfurt.

Em pouco mais de três meses do novo governo, o polvo já ocupou todos os espaços. Defenestrar Bolsonaro: a palavra de ordem distribuída por cada tentáculo. Em pouco mais de três meses, o abominável capitão, já destruiu a floresta Amazônica, assassinou várias tribos de inocentes indígenas, carbonizou o sofisticado sistema educacional, acabou com a Petrobras, e, foi humilhado por um prefeito da mais democrática cidade do mundo. Claro: como receber um nazista, homofóbico, racista, ainda que nenhum desses adjetivos tenham o aval da verdade.

Bolsonaro, sem dúvida, não é exatamente um diplomata no vernáculo. Dá, seguidamente, "caneladas verbais." Mas seu, ainda, desorganizado governo, ostenta uma dado inédito em comparação aos anteriores -  nenhum caso de corrupção foi detectado em sua administração. Ora, e o que importa este reles dado para justificar um nazista, homofóbico, racista?

Os tentáculos já estabeleceram o fluido narrativo. E, que não se alegue que "somente" após os três meses e pouco, que o inacreditável polvo ideológico começou  sua indômita batalha. Não. Nos primeiros minutos após a posse, Bolsonaro já era o fracasso anunciado, na mais desenvolvida civilização do trópicos.

Eu vi. Numa manifestação de estudantes secundários, protestando contra o "corte" de verbas para a educação, um cartaz, ao fundo, mais perfeitamente legível: NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA! Ora, por quem sois...

Carlos Vereza. 7/Maio/2019.





sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

MINHA OPINIÃO NÃO ESTÁ À VENDA.

Como apoiador de Bolsonaro de primeira hora, batendo de frente com 90% da classe artística e intelectual, apoiadores da esquerda, sinto-me no direito de discordar, quando achar necessário, de atos do novo governo. Este blog é meu, não dou direito de resposta como no facebook, onde estou sendo censurado pela esquerda e fanáticos de direita.

Em menos de dois meses a equipe competente de Bolsonaro fez muito mais que os 16 anos do assalto lulopetista. Os dois recentes pacotes, da Previdência e Contra o Crime, chegaram céleres ao congresso, sendo que o da Previdência, não poupa os políticos dos mesmos encargos reservados à maioria da população.

Dito isto, continuo achando que Carlos Bolsonaro afastou do  pai o seu melhor amigo. E tudo por ego e questões pessoais. Não sou amigo de Bebianno, não privo de sua intimidade, mas uma mera interpretação de texto - com o presidente ainda sob o efeito de uma operação delicadíssima, com duração de mais de 7 horas -, não era o momento para Carlos expor seu pai e o ex-ministro, num escândalo midiático sem necessidade.

Nenhum raciocínio desapaixonado deixará de observar inúmeras contradições na demissão de Bebianno. A mais gritante: segundo o filho e o próprio presidente, Bebianno mentiu quando afirmou que falara com Bolsonaro por três vezes. A divulgação das gravações prova exatamente o contrário.

Bebianno foi acusado de ser traidor, de vazar conversas, e de ser responsável pelo escândalo das laranjas eleitorais. Muito bem: um dia após sua demissão, outro vazamento é registrado de uma conversa de Bolsonaro e Onix, chefe da Casa Civil. Repito: Bebianno não era mais ministro.

Bolsonaro acusa o ex-ministro de receber em palácio um dirigente das Organizações Globo. Ora, a entrevista, como todas, constava da agenda pública na Internet. Era só acessar. Nada foi de "foro íntimo" de Bebianno.

Outra revelação: começa a ficar em evidência que o ministro do Turismo é o verdadeiro responsável pela distribuição das laranjas eleitorais. Até agora Bolsonaro o mantém no cargo, mesmo com o testemunho de uma mulher que se refugiou em Portugal e confirma a irregularidade.

Ou seja: a reputação de um homem que dedicou-se desde o começo da campanha a ajudar de todas as formas o então candidato Bolsonaro - inclusive como advogado sem cobrar qualquer honorário -,  é destruída por uma questão puramente pessoal do filho mimado do presidente. E, o assustador, é ver, nas redes, a continuidade do massacre de reputação, sem que ninguém  se disponha a analisar, sem fanatismo, a absurda injustiça cometida contra o melhor amigo do capitão.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

NOVA ORDEM MUNDIAL.

Desde 1924, com a Escola de Frankfurt, teóricos de esquerda, Marcuse, Adorno, entre outros, resolveram reavaliar as teses de Marx, que achavam defasadas ante a novas configurações da realidade mundial.

Decidiram que a ação armada para a derrota do capitalismo, estavam superadas e, que era necessário pensar em outras estratégias para alcançar seus objetivos.

Um salto no tempo, e Antônio Gramsci, vem unir-se a essas "ferramentas" esboçadas em 1924. Elabora-se a entrada pacífica nas democracias, e, gradativamente, corroê-las por dentro.
Fundamental erigir comportamentos que desqualifiquem, aos poucos, a estrutura da família tradicional e por corolário, a própria sociedade democrática.

Fundamental a "ocupação" da educação e doutrinação marxista da juventude, assim como a infiltração nos meios de comunicação. Igualmente importante a desestruturação do conceito de família e a desmoralização da civilização judaico-cristã, com a formação de "novas" configurações familiares.

Liberação das drogas, "diversidade sexual", ideologia de gênero, Cartilha Gay, à pretexto de combater a homofobia, tudo muito glamourizado sob o  argumento de que tais mudanças teriam como justificativa, a "evolução dos costumes".

Simultaneamente, no plano internacional, o comunismo com nova roupagem, agora aliado ao islamismo, infiltra-se nos países democráticos, em meio à desesperados imigrantes. Legalizam-se, adquirem cidadania, e, com o tempo, concorrerão a cargos no governo desses mesmos países.

Neste perigosíssimo contexto é que as eleições no Brasil ocorrerão. Forças da esquerda, nacionais e estrangeiras, usarão de todas as baixarias inimagináveis para libertar Lula e retomar o projeto de uma América Latina dominada pela ideologia comunista.


segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

ESTÉTICA DA PSICOSE.


Assisti, desolado, no Canal Curta - 56, um documentário sobre o (como chamar?)  encenador José Celso Martinez Correia. Entre os entrevistados, deslumbrados, um, digamos, critico de teatro, discorria sobre o que seria a reinvenção da cena mundial.

Atento aos detalhes, na estante do comentarista, uma gravura de Che Guevara. Enfim um ponto de partida: a previsivel "esquerda" e sua constante e repetitiva invenção da roda.

E o entusiasmado analista, para corroborar suas definitivas certezas, citava meu amigo Gerald Thomas e Caetano Veloso, que teriam dado seu indescutivel aval a dita e bendita revolução teatral.

Condoi-me do Zé, inegável criador de tantos emblemáticos espetáculos na década de 70, e tristemente reduzido, agora, à um pálido pastiche do co-criador do histórico Rei daVela.

Sei que definir é dar fim. Mas como "entender" uma estética comandada com mão de ferro, que ao mesmo mesmo tempo apregoa-se  libertária, onde defecar realisticamente em cena, tirar sangue verdadeiramente dos braços dos atores, seria uma - vá lá - contestação da chamada "realidade"? ; uma mise en scène pretensamente sem censura da sexualidade mas reprimida com a onipresença castradora de Zé Celso, com patéticas e gratuitas manifestações de viés homossexual - aceno oportunista à cartilha esquerdista da chamada diversidade sexual.

Pessoas se masturbam em cena, sendo o onanismo o contrário da suposta liberdade de costumes apregoada pelo Zé Celso, em reiteradas e performáticas entrevistas, pois o orgasmo não se comunica com o outro ou a outra pessoa, o que definiria, de alguma maneira, uma interação, alguma epifania - fundamento maior  da vida e da arte!

Mas o lobby esquerdista permeia, não apenas o conturbado momento politico do país, mas insere-se nas soi disant "exposições" queer, em Porto Alegre e São Paulo, onde precários cartuns degradam a condição humana, não poupando nem mesmo a infância, à titulo de...obras de arte.

Como artista não percebo mais o talentoso encenador. Como ser humano, parece-me - e tem aqui minha solidariedade - José Celso, busca o revide contra o "sistema"e a fatalidade que atingiu seu irmão, com quem trabalhei, tempos atrás. Pena que essa prestação de contas resulte em um  incentivo "inconsciente" às mesmas circunstâncias das quais seu irmão foi vitima.

Carlos Vereza.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

ILUSÃO À TOA.


Quando o comunismo "acabou" na antiga União Soviética o mundo civilizado e democrático acreditou-se aliviado. Ilusão à toa, como cantaria o genial Jhonny Alf;

Depois de um tempo, dissimulado em autocriticas para consumo interno e externo, voltou-se para a America Latina; e com Fidel, Lula e Chaves, instalou o Foro de São Paulo com total mudança de estratégia: não mais luta armada ou tomada do poder pela insurreição revolucionária;

Agora, era retomar a O Decálogo de Lênin, A Escola de Frankfurt, Gramsci, O Fabianismo e dissolver os regimes democráticos "por dentro", apresentando-se com discursos liberais a favor do mercado;

E, assim fizeram. Começaram pelo flanco mais sensível e indefeso: a educação infantil. Corromper quem poderia ser, no futuro, adultos conscientes e esclarecidos;

Ideologia de gênero, a suposta diversidade sexual, "exposições" com o propósito de erotizar crianças e adolescentes, e a sinistra escola com partido;

Ter,  como alvo principal, o Brasil, que por sua importância como repercussão politica e dimensões continentais, serviria a contento como influência para os demais países da região;

E, assim foi e está sendo feito, contando com a passividade da população brasileira, mais preocupada com o carnaval que se aproxima e o resultado do brasileirão.

Carlos Vereza.     

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

SALVEM AS CRIANÇAS!

Elas, as indefesas crianças tornaram-se o objeto de desejo de degenerados a serviço da Nova Ordem Mundial. A covarde articulação para erotizar menores de seis e sete anos, vitimas de supostas manifestações artísticas, a banalização da pedofilia, da solerte ideologia de gêneros, nenhuma dessas ações são obras do acaso.

A desconstrução da inocência, formando futuros amorais, cínicos, traumatizados para sempre em sua sensualidade, massa de manobra do marxismo cultural conectado com agentes das trevas.

Os indômitos defensores da liberdade de expressão, acusam a censura, o obscurantismo, que vetam suas imortais "obras de arte."

Mas, nenhum filme, peça de teatro, novela, livro ou verdadeiras exposições, sofrem qualquer tipo de ameaça - estão aí, à disposição dos consumidores.

O que há é um boicote espontâneo, da sociedade, indignada com o horror, com limites que estão sendo transpostos por desviados sexuais, que exibem suas taras, travestidas em estéticas pretensamente revolucionárias.

O que falta para uma grande manifestação da família brasileira, ocupando ruas e praças deste país, colocando um basta na degradação que tem como objetivo final a eliminação de crianças índigo e cristal, que estão chegando ao mundo para transformá-lo, de planeta de provas e expiações, em planeta de Regeneração?

As trevas, não dormem.

Carlos Vereza.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

APOCALIPSE!

Com o término da União Soviética o comunismo internacional voltou-se para a America Latina. Criou sua base no Foro de São Paulo, organizado por Lula, Fidel e Chaves.
Abandonando a tomada de poder pela luta armada, adotaram a estratégia gramscista e a escola de Frankfurt, mais o fabianismo, para atingir seus objetivos: ocupar por dentro as democracias, para posteriormente destruí-las por dentro.

Com a eleição de Lula, sendo o Brasil o maior país da região, pela sua influência, seria o centro propagador dessa infiltração.
Começaram a doutrinação pela "escola com partido" e a maciça divulgação do marxismo cultural. Infiltraram-se em todos os poderes, e o mais inaceitável: a solerte ideologia de gênero, brincando de Deus, com a "teoria" de que ninguém nasce menino ou menina, que esta definição seria "cultural"; que só mais tarde, na fase adulta, poderia ocorrer esta escolha. Uma das bandeiras desta organização, é um livro de Simone Beauvoir, onde a companheira de Sartre afirma, que "ninguém nasce mulher. Torna-se mulher."

A diversidade sexual tornou-se pretexto para a homossexualização de crianças e adolescentes por meio de setores cúmplices da mídia, manifestações "artísticas"  como a queer em Porto Alegre, onde crianças foram levadas por professores para uma "obras" mostrando pedofilia, zoofilia, desrespeito à imagem de Cristo, e outros absurdos! E, ai da maioria da sociedade que revoltou-se com o "evento"; tachadas de intolerantes, fascistas, censores, e outros clichês prét à porter!

Um outro braço da organização é o conluio com a infiltração islamista através da imigração sem seletividade. Chegam a um país, têm cinco ou seis filhos, que serão naturalizados, e mais tarde, serão candidatos a cargos eletivos - eles não tem pressa.

Em síntese: eles podem tudo, são "modernos, "cabeça feita", e nós, que aceitemos tudo com a nossa medíocre insignificância.

Carlos Vereza.

sábado, 22 de julho de 2017

.



                         DESTROÇOS.
   
Nem na ditadura houve um corte tão abrupto entre gerações como ocorreu nos 13 anos e cinco meses do horror petista. Talvez porque o inimigo fosse comum, visível à maioria da população; talvez porque a asfixia da liberdade mostrava-se na evidência da censura, dos blindados nas ruas, no desaparecimento dos amigos. Era claro-escuro. Sem meios tons.
As pessoas, independente da faixa etária, reunião-se em volta de idéias, ações temerárias, e ...Livros. lia-se. Muito.
Corte.
O mons
tro repressivo reaparece com sinuosos tentáculos. Esgueira-se em afagos populistas, não mostra as garras; as esconde em subterrâneas maquinações. É cordial. Afável.
Como uma goma viscosa espalha-se, apodera-se das 

instituições, desagrega e confunde os ideais. Implanta a novilingua, pasteuriza a cultura, os intelectuais em sua quase maioria tornam-se orgânicos. A igreja ajoelha-se, devota, ao entorpecimento das massas.
O monstro devora a democracia por dentro, divide, separa, esgarça os valores da civilidade, o conceito de família. 
Surge, pastoso, um lumpemproletariado a caminho do paraíso. Fulgura, impoluto, o grande Pai que apascenta seu rebanho; patética caricatura pasteurizando o subdesenvolvido inconsciente coletivo tupiniquim.
A anarquia controlada acena aos jovens todo o poder de exercer sua sensualidade livre de parâmetros de gênero ou sexo.
Abre-se um fosso entre " nós e eles"; entre brancos e negros, entre "ricos" e pobres.
Corte.
A câmera passeia entre destroços.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

SUICIDIO: NUNCA!



Nenhuma divulgação sobre o assustador número de suicídios entre adolescentes. Somente o jornal da Band, no dia 5 de Julho do corrente ano, noticiou esta triste ocorrência.

Nas redes sociais pode-se ver uma nefasta produção intitulada "Baleia Azul" e um desenho francês, "ensinando" várias maneiras de acabar com a própria vida.

Urge que todas as Casas Religiosas, e instituições que valorizem a vida, façam uma campanha de grande alcance pois, com certeza, há algo ligado às trevas nesta sórdida empreitada.

sábado, 1 de julho de 2017

GOLPE TABAJARA.

A articulação para derrubar Temer começou com a libertação de José Dirceu, que em suas primeiras declarações conclamou a militância petista a dar uma guinada à esquerda.
O recado foi assimilado imediatamente com a depredação e incêndio de Ministérios e violência explicita da tropa de choque, sofisticadamente conhecida como black blocks, ala terrorista do Partido dos Trabalhadores, embora neguem.
O judiciário, prontamente deu sequência com o golpe Tabajara, com participações especiais de Fachin, Janot o friboi Joesley. e ampla e estridente cobertura dos meios de comunicação.
Mesmo solto com restrições, Dirceu faz palestras seguidamente, sem que a justiça lhe faça qualquer advertência.
O pano de fundo, além de boicotar as reformas, é "esquecer" Lula, que, supõe-se, esteja prestes a ser condenado pelo juiz Sergio Moro.
Neste jogo sujo de várias cartas na manga, ingênuos imploram pela intervenção militar, ignorando que as Forças Armadas foram, como todos os poderes, cooptadas pelo Foro de São Paulo, via lulopetismo ao longo dos treze anos e cinco meses da orcrim no poder.
Michel Temer é uma nota dissonante nessa obscena cacofonia; luta pelas reformas, mesmo fazendo parte da macunaímica "cultura politica" que começou, lá atrás, com Deodoro da Fonseca. Tirem as crianças da sala.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

TENEBROSAS TRANSAÇÕES.


O ministro Edson Fachin retirou quatro processos da alçada de Sergio Moro numa evidente escalada para esvaziar a Operação Lava-Jato.

Com a cumplicidade de Rodrigo Janot, articulam para derrubar Michel Temer e, na sequência, criar condições para eleições diretas, propiciando a candidatura de Lula à presidência da República.

Mas não será tão fácil como supõem, pois Temer é politico experiente e partiu para o contra ataque, paralizando Janot com a suspeita de que o Procurador Geral estaria envolvido em tenebrosas transações.

Por outro lado a economia vem apresentando timidas, mas significativas melhoras, como a queda da inflação, o preço dos alimentos, juros diminuindo.

Aguardemos.


quarta-feira, 22 de março de 2017

TREM PARA PETROPOLIS

Petrópolis tem tudo para tornar-se um polo cultural, como Ouro Preto, Campos de Jordão, Gramado.
Para que aconteça, além da sensibilidade do Governo e Secretários de Cultura para Eventos de qualidade, seria da maior importância uma grande campanha pela instalação de um trem que ligasse esta bela cidade ao Rio de Janeiro. Como, aliás, tempos atrás, já existira.

Carlos Vereza.