Carlos Vereza

Loading...

MENU

Navegue pelas veredas do Vereza clicando nas opções abaixo:

segunda-feira, 15 de março de 2010

Tudo é vaidade...vento que passa.

Estimados petistas, quando eu digo que o Brasil foi tomado de assalto pelo PT,os enfurecidos "devotos",me catalogam de nazista...direitista...e outras "definições" não publicáveis.Será que não leem jornais ou ficam restritos aos boletins do partido? Agora,o mais recente golpe da quadrilha,é a conexão Bancoop-mensalão,onde o atual tesoureiro da campanha de Dilma Roussef,João Vaccari Neto,é denunciado pelo corretor Lúcio Funaro de cobrar propinas de até 15% dos fundos de pensão das empresas estatais,bancos e corretoras,para abastecer o Mensalão,que por sua vez,"financiava" as candidaturas dos "companheiros". Já sei qual será o argumento dos "torcedores" do partido da "ética": "...é mais uma conspiração da imprensa...é a direita financiando a midia,etc..." Estarão vocês em estado de hipnose coletiva? Lula é o maior oportunista da história politica deste país.Vivemos sob um marketing colossal,onde o Brasil real,acumula dividas de mais de um trilhão de dolares aos credores externos,com o PIB despencando como nunca desde a era Collor. Acordem!O único projeto possivel,ainda que eivado de defeitos, mas que continua a ser o melhor até agora posto em prática,é o democrático! As ditaduras são contra a natureza humana,e faliram em todos os paises onde foi "exercitada",embora o vosso guia,tenha as melhores e afetuosas relações com os tiranetes Chaves,Morales e os Castros,sem esquecer,é claro,o psicopata ditador do Irã! Acreditem ou não,como espiritualista que tento ser, sinto profunda piedade do carma que Lula está criando para sí mesmo. Como cita o Eclesiastes,"tudo é vaidade...vento que passa." E ele,mais cedo do que imaginam,também passará!

11 comentários:

Márcia Zenkye disse...

"Ainda hoje Jesus continua pregado na cruz.
Há uma presença misteriosa de Deus dentro da humanidade.
A encarnação significa que o Filho realmente assumiu a nossa condição pecadora.
Uma vez assumida, continua permanecendo dentro dela para sempre.
Encarnou-se, não para sacralizar o mundo e o homem que encontrou, mas, para libertá-los e fazer novo o mundo velho, e justo, o homem pecador.
E, se Deus está por nós, quem poderá estar contra nós? A própria oposição e a aparente derrota, constituem alimento que acelera o advento do reino definitivo de Deus.
Continuamos ainda dentro da via-sacra universal.
O preço desse desfecho infeliz está sendo pago de geração em geração.
A paixão continua, e a ressurreição definitiva somente será plena na consumação do mundo.
Por isso, Jesus, continua ainda, sendo crucificado em todos os crucificados da história.
Está sendo crucificado nos milhões que passam fome a cada dia, naqueles submetidos a condições inumanas de trabalho.
Crucificado nos mutilados de todas as guerras e condenados às camas dos hospitais.
Crucificado nos marginalizados dos campos e das cidades, nos discriminados por causa de sua pobreza, sexo, ou raça.
Crucificado nos perseguidos por causa de sua sede de justiça e naqueles que em suas profissões são continuamente obrigados a violentar sua consciência, a ocultar a verdade e a agenciar instituições que oprimem os humildes.
Crucificado em todos os que lutam, sem sucesso imediato, contra sistemas econômicos e ideológicos que geram estruturas de pecado, porque estruturas de exploração, e são obrigados a viver dento delas contra sua própria vontade."

Márcia Zenkye disse...

(continuidade...esses infelizes caracteres programados...)
Crucificado através dos banidos, dos preteridos, dos esquecidos, dos que são lesados nos sistemas e esquemas das ganâncias, dos que em nome do poder ou das religiões geradas e impostas pelo próprio homem, banalizam e aniquilam os sacrifícios de Jesus e machucam o coração do Pai, cada vez menos, reconhecendo o sentido da vida, que insiste em brotar a todo instante, a despeito do mundo, quase destruído.
Compreendo a existência, talvez, por ter passado por ela algumas vezes em meu espírito imortal.
Compreendo que Deus, na abundância de Seu Amor, sabe o quanto Seu filho fora incompreendido e que muitos de seus irmãos são o reflexo desses antagonismos e aforismos ao longo da histórica memória, construída e apagada dos neurônios nas sociedades de consumo.
Espero que cada qual, possa, em LUZ, voltar-se ao seu Deus, independente de credo, crença ou religião que abrace. Creio que o princípio da caridade que aponta o quanto sem ela não há salvação, inicia - se no carinho não expresso e esquecido de Amá-lo acima de todas as coisas e ao Próximo como a ti mesmo.
Quantas vezes ainda vai ser preciso ao homem voltar, posto que, espíritos eternos, a redescobrir-se em evolução?
Quisera nessa existência de quimeras, reafirmando que o pó se fez carne e ao pó voltará, à luz da eternidade, sem nenhuma vaidade ou materialidade, cada um possa ser estrela a iluminar sua própria transcendência, no despertar, mesmo tardio, de sua consciência.
Aos governantes de todos os países que se reconheçam aprendizes naquilo que os libertará felizes, quem sabe? Afinal, tudo é vaidade e vento que passa.
Inspirada nos pensamentos dessas criaturas que na terra são Luzes, creio que a maior ajuda que o Brasil poderia dar ao nosso presidente e sua equipe vitimada pelas sérias obsessões do materialismo, seria pleitear o seu IMPECHEMAN... E quem sabe assim, sendo obrigado a começar tudo outra vez, pudesse reconstruir uma nova história para si mesmo, já que, embora derramado num vermelho imundo feito sangue contaminado, tornou-se sociológico, antropológico, histórico e palpável a análise política que vem se desgovernando a cada mandato de inúmeros presidentes.
Partindo assim os trabalhadores, quem sabe possa, à luz de um urgente reaprendizado, fincar ainda uma nova bandeira vermelha e branca, dessa vez, sincera, a favor de sua paz de espírito, e os caras pintadas, de verde e amarelo, desde a era de Collor de Mello, quiçá, possam ainda ter forças para clamar por justiça.
Nós, os brasileiros em anonimato, continuaríamos assim, intercedendo por ele em oração silenciosa, que, certamente era muito mais rico na tenra infância de básicas necessidades...
Ah! Jesus, que possas um dia estar, finalmente fora da cruz, e que DEUS, na sua infinita misericórdia possa transformar o câncer da materialidade em células novas de espiritualidade.
Minha maior tristeza é ter a consciência de que sou parte desse todo, e assim sendo, quando algum semelhante erra feio, como agora, toda a humanidade adoece junto por ser integrante de um mesmo corpo, posto que, sendo todos irmãos, o DNA é coletivo, mas insiste no individualismo.
Quem sabe, não seja essa mesma a vontade do PAI, conceder-nos o livre arbítrio, lembrando que à porta estreita, muitos são chamados, mas poucos os escolhidos.
Mais uma vez adormecenos chorando e profundamente cansados... Entretanto, que venha a nós o filho pródigo, mas, por favor, Senhor, fora de qualquer partido. Não há mais quem suporte ser enganado!

Ana disse...

Vereza, aproveita e me ajuda a raciocinar: quem pagou o FMI, ó Deus?

Julio Teixeira disse...

Quem disse á senhora Ana que o FMI foi pago? Afinal, a divida externa de mais ou menos 120 bilhões de FHC e pulou para 260 bilhões no governo lula é dívida de quem?

E a interna, de 650 bilhões e pulou para 1 trilhão e meio?

FALCÃO PEREGRINO disse...

Olá, parabéns pela coragem dos seus artigos esclarecedores.
Estão acabando com o país mas felizmente nem todos estão imbecilizados e ainda tem muita gente que pensa e que não se deixa dobrar.
Até +
Vou seguir seu blog, se tiver um tempo visite o meu, se achar interessante siga.

José Antonio disse...

Edy, o partido que hoje está no governo tem como orientação ideológica o marxismo. Isto é indubitável não somente pelo que defendem na atualidade, mas também pelo passado registra a luta de muitos que hoje ocupam os postos chaves da nação pela implantação de uma ditadura genocida de esquerda no Brasil.

O que quero dizer com isso é que a partir da leitura do exceto de uma peça de Bertold Brecht chamada A medida punitiva, de certa forma quero crer eu que consigo te entender.

Diz o citado poeta comunista que "Quem luta pelo comunismo tem de poder lutar e não lutar; dizer a verdade e não dizer a verdade; prestar serviços e negar serviços; manter a palavra e não cumprir a palavra; enfrentar o perigo e evitar o perigo; identificar-se e não identificar-se. Quem luta pelo comunismo tem de todas as virtudes apenas uma: a de lutar pelo comunismo".

Acredito que esta síntese "sincera" do que efetivamente é um comunista e o comunismo esclareça por qual razão estás iludida. A não ser que seja um deles que entenda que mentir e não manter a palavra seja uma virtude.

Julio Teixeira disse...

Quem estaria falando a verdade?
Quem mente dez palavras em cinco vociferadas é o lularápio e sua gangue.
Portanto, verdade e mentira não é uma questão que possa entrar na discução petista.
Coroneis paulistas seriam por exemplo aqueles que representam 40% do PIB que o lularápio usa para dar esmola, nordestina?
O Senhor edy não precisa de cultura, também seu deus lularápio diz a mesma coisa, mas um minimo de educação e um minimo de respeito se espera de um cidadão, pois até o animal selvagem o tem.

José Antonio disse...

Edy, desculpe mas não sou intelectual, busquei apenas ser intelectualmente honesto. O texto que citei não é da minha autoria, mas do comunista Bertold Brecht. Foi ele que disse que o pessoal que tu defendes são mentirosos e não cumprem com a palavra. Foi ele que disse que a mentira e ser mau caráter são virtudes. Em se tratando do pessoal que estás fazendo uma defesa candente, parece que o Brecht tem razão. São mentirosos. Quando falas que os pobres estão sendo atendidos pela turma que tu defendes, provavelmente estás falando do bolsa-família. É bom lembrar que a origem do bolsa-família se deu em 2001 com o bolsa-escola, projeto do deputado gaúcho Nelson Marchesan. Isso ocorreu no governo FHC. Aliás, a origem do projeto era muito mais nobre que o bolsa-estelionato eleitoral, ou melhor, o bolsa família, basta ver que hoje os nordestinos não estão mais na mão dos coronéis, mas na mão do Estado que é muito mais perverso. Ocorre que o pessoal que tu defendes simplesmente diz que foram eles que fizeram tudo. São mentirosos como vês. Portanto, para observar a realidade não é uma questão de ser ou não intelectual, mais intelectualmente honesto.

Márcia Zenkye disse...

Deputado do DF pode responder por quebra de decoro por gesto ofensivo
Estudantes fizeram manifestações na galeria da Câmara Legislativa.
Roriz chamou os manifestantes de 'palhaços' e deu 'banana' para eles.
Do G1, com informações do DFTV
Tamanho da letra
• A-
• A+
Estudantes que faziam manifestação contra o mensalão do DEM na galeria da Câmara Legislativa na tarde desta quarta-feira (17) disseram que vão entrar com representação contra o deputado Paulo Roriz (DEM) por quebra de decoro parlamentar. Insatisfeito com os protestos, Roriz chamou os estudantes de "palhaços" e fez um gesto ofensivo –deu uma “banana”– para eles em plenário.

Veja o site do DFTV

O escândalo que ficou conhecido como mensalão do DEM do DF começou no dia 27 de novembro, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Caixa de Pandora.

Os manifestantes seguravam cartazes com críticas aos deputados distritais. Roriz não gostou e pediu à presidência da Câmara para que todos fossem retirados. “Peço a Vossa Excelência que retire desta Casa esses ‘palhaços’ que estão aqui fazendo o que estão fazendo”. Logo em seguida, o deputado fez o gesto ofensivo.

De acordo com o código da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, os deputados precisam tratar as autoridades, os servidores da Câmara Legislativa e demais cidadãos com respeito, discrição e urbanidade compatível com a dignidade parlamentar. O Artigo XI diz que "praticar ofensas físicas ou morais a qualquer pessoa no edifício da Câmara ou desacatar, por atos ou palavras, outro parlamentar, a Mesa ou Comissão e respectivos presidentes são atos contrários à ética e ao decoro parlamentar".

saiba mais
• Defesa de Arruda vai recorrer de cassação na segunda-feira, diz advogada
• Advogado de Arruda diz que cassação foi 'decisão equivocada'
• Relator no STF nega liberdade a ex-secretário de comunicação de Arruda
• Câmara do DF aprova em 1º turno eleição indireta para governador
________________________________________
Apesar de a população ter direito de assistir às sessões da Câmara Legislativa, a Casa ficou fechada por três semanas durante o auge da crise do suposto esquema de corrupção. As sessões só foram abertas novamente quando os deputados já tinham aprovado os requerimentos da instalação da CPI e votado a instalação da Comissão de impeachment do governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM).

A estudante Levi Brandão disse que o deputado já agiu de maneira semelhante no passado. “Hoje, ele está fazendo como antigamente: reprimindo os estudantes que estão fazendo manifestações naquela que se diz ser a Casa do povo”, disse.

'Excesso'
Nesta tarde, na tribuna da Câmara, o deputado “reconheceu o excesso” de sua ação, segundo sua assessoria. Roriz pediu desculpas aos parlamentares, mas disse que não pediria desculpa ao estudante que, segundo ele, o teria ofendido com um gesto obsceno e o xingado, o que teria motivado sua reação.

De acordo com a assessoria, o deputado “está tranquilo” em relação a um eventual pedido de abertura de processo por quebra de decoro. Roriz teria dito ainda que toda vez que ele ou sua família forem ofendidos, agirá “com o coração” para se defender, informou sua assessoria.

O presidente da Comissão de Ética, deputado Aguinaldo de Jesus (PRB), e a vice, deputada Érika Kokay (PT), não quiseram gravar entrevista.


Postado pelo grande amigo variguiano Oswald e repassado à este site pra lá de pertinente e democrático... Vereza, bravo guerreiro!

José Antonio disse...

É isso, Edy, honestidade intelectual é o que o Serra fez. Reconhecer, como também reconheço, que não somente o Lula mas todos os presidentes no pós ditadura, inclusive o Collor, deram sua parcela de contribuição para que o País solidificasse o seu processo de desenvolvimento inclusive social. Não li comentário seu sobre o que citei sobre o bolsa-escola do governo FHC, precursor do bolsa-família. Aliás, nem mesmo o pessoal que tu defendes é capaz de admitir que o mundo já existia antes do Lula e do PT. Mas é apenas um devaneio meu esperar que totalitários possam reconhecer que o bom trabalho dos outros. Quanto ao Brecht diria que foi intelectualmente honesto em dizer como é e deve ser um comunista. Edy, vejo que tens um bom coração e manifesta uma preocupação com as pessoas, basta ver que sempre identificas o governo Lula pelo social. Ocorre que o regime que eles defendem geraram e ainda geram milhares de mortes e cerceamento da liberdade. Esse é o preço que muitos países pobres pagaram para ter comida. Reconheço também que as elites brasileiras e das demais sociedades latino-americanas, não tiveram a preocupação em atender os mais necessitados, mas somente a democracia e a liberdade nos proporciona um ambiente para estar sempre avaliando a realidade na busca pela mudança. Procura ler sobre isso. Busca conhecer melhor o regime que o pessoal do PT defende para teres uma ideia do que estou falando e do que enfaticamente o Vereza tenta alertar. Mas isso tem que ser feito sem paixões, de forma racional e primando pela verdade. Não existe regime perfeito, mas alguns primam pela imperfeição desconhecendo o principal ator de qualquer regime: a pessoa humana.

Julio Teixeira disse...

Bem eu prefiro publicar o pensamento translúcido deste Estadista a respeito de um Simulacro de estadista...

"Imagem.
Em artigo publicado ontem no ESTADO, o escritor cubano Carlos Alberto Montaner reproduz definição sobre o presidente Lula que ouviu de um presidente latino-americano.

É a seguinte:
"Esse homem é de uma penosa fragilidade intelectual. Continua sendo um sindicalista preso à superstição da luta de classes. Não entende nenhum assunto complexo, carece de capacidade de fixar atenção, tem lacunas culturais terríveis e por isso aceita a análise dos marxistas radicais que lhe explicam a realidade como um combate entre bons e maus."

Segundo Montaner, o comentário foi feito a propósito da perda de confiança internacional provocada pelo alinhamento brasileiro a governos autoritários."