Carlos Vereza

Loading...

MENU

Navegue pelas veredas do Vereza clicando nas opções abaixo:

sábado, 2 de abril de 2011

General Augusto Heleno. Um homem honrado!

Simplifiquemos: O general Augusto Heleno foi para a reserva e impedido de fazer um pronunciamento "apenas" porque o honrado militar posicionou-se contra a demarcação realizada na Reserva Raposa do Sol pelo descobridor do Brasil: Luiz Inácio Lula da Silva.

O Grande Timoneiro deixou a cargo dos nossos aculturados indigenas a "tarefa" de zelar pela imensa fronteira brasileira, onde, entre outras riquezas, encontra-se o Nióbio, capaz de retirar definitivamente da miséria absoluta o povo deste país. Tirem suas conclusões!


Estamos juntos!

12 comentários:

PoPa disse...

Nunca imaginei que diria isso, mas começo a ter saudades do período militar, onde os presidentes, seus filhos e amigos não enriqueciam; onde a honra e a honestidade ainda tinham espaço para existirem.

Que coisa maluca! Estamos em um regime que privatizou o Estado para uns poucos e socializou a conta da safadeza para todo o resto.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

A Ditadura dos militares nos feriu profundamente, mas o Popa tem razão, comparando aquele com o atual tempo,dá pra ter saudades...era bem menos ruim do que o caos de hoje, as safadezas e outras "ezas" e "ções". Sempre existiu militar honrado, é que uss "pagam" pelos outros.

É sempre bom, apontar os bons que estão no meio da corja, né Vereza?
Vereza, vc que sempre diz gostar do Ceará, visite meu blog - Da Cadeirinha de Arruar...falo da Família Bezerra de Menezes, da qual descendo....e dos Paiva...
Conto "causos" domésticos....
Um abrço!

Leley disse...

Já passou da hora dos militares varrerem a casa novamente, e a entregarem, para o Gal. Augusto Heleno presidi-la. Antes de construir estádios e outras coisas para copa do mundo,que se construa prisões para todos os políticos ficarem definitivamente encarceirados e incomunicáveis.Aja cela !
Quero tambem lembrar que Bolsonaro está com a razão !

dbjr disse...

concordo já passou da hora de varrerem a casa novamente tenho certeza que a grande maioria aprovaria pelo bem da nação.

Fátima Brunet disse...

Tenho muito orgulho de ser de família de militares. Todos, meu pai, meu tio, meus avós e bisavós só me deram motivos para admirá-los. Me ensinaram valores, como a honestidade, retidão, disciplina dentre outros. Por tudo isso, fico chocada com tantas falcatruas que temos que assistir nos governos atuais. Um desrespeito com todos nós eleitores e cidadãos que queremos viver em um país com um mínimo de decência. Democracia sem pulso forte vira bagunça como a que assistimos quase todos os dias e ainda temos que engolir o preconceito que se formou contra uma classe, a dos militares, que governou o país de forma honesta, com dedicação e grande contribuição ao desenvolvimento do Brasil.

Anônimo disse...

é fácil... basta que nas proximas eleiçoes o general se candidate a presidente d republica..com certeza eu e alguns milhoes de brasileiros que estudam e pagam imposto estaremos com ele.

Luiz C Leal disse...

RESPOSTA DO GENERAL HELENO AO JORNALISTA QUE DEVERIA SER PROCESSADO

Jamais senti ira. Sou um homem de bem com a vida.
Jamais fui interpelado pela Procuradoria da República sobre “quantidade injustificável de telefonemas do então juiz Nicolau dos Santos Neto”.
Jamais servi no Palácio do Planalto durante o governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso.
Durante o governo do Presidente Collor, tinha contatos frequentes com os Presidentes de Tribunais Regionais do Trabalho, por motivo exclusivamente funcional. Os processos de nomeações do Poder Judiciário, de Ministro do STF a juiz classista, passavam por mim, no Gabinete Militar, e eu, pessoalmente, os preparava para despacho do Min da Justiça com o Presidente da República.
Nada mais razoável que me ligasse com o presidente do TRT/SP, o mais importante do País. Jamais tratei de obras, verbas ou coisa parecida. O Gabinete Militar não possuía qualquer ingerência com o assunto.
Sua ilação é infundada, leviana e inexplicável. Da primeira vez que você tratou do assunto, já se vão alguns anos, coloquei à sua disposição minhas declarações de Imposto de Renda e extratos bancários. Você preferiu seguir a linha das acusações irresponsáveis e mentirosas.
Quanto à volta do Haiti, não entendi suas conclusões.
Ultrapassei em três meses o prazo previsto para a missão. Depois de 15 meses fora do País, retornei para assumir o cargo de Chefe do Gabinete do Comandante.
Fui convidado, insistentemente, pelo Chefe do Departamento de Operações de Paz da ONU e pelo próprio Secretário Geral da ONU, que me ligou pessoalmente, para permanecer no cargo.
Recusei porque considerava minha tarefa cumprida e porque sempre achei saudável a renovação de comandantes, sobretudo em uma missão altamente desgastante. Gostaria que outros generais vivessem a experiência fascinante de comandar a Força Militar da MINUSTAH. Esse rodízio acontece até hoje.
Finalmente, quanto à palestra sobre 31 de março de 1964, não iria ferir os princípios da hierarquia e da disciplina, após 45 anos de serviço e no mais alto posto da carreira. Minhas palavras não iriam modificar os fatos, apenas contar a verdade aos mais jovens.
Gen Augusto Heleno Pereira

Dárcio disse...

Além dos aculturados indígenas, temos as ONGs internacionais, e os narco-traficantes.
Chamar o regime militar de ditadura e o governo petista de democracia, é exatamente a inversão proposta pelo pensamento revolucionário.
Não sou à favor de governos totalitários, mas segundo o Lula, "a democracia na Venezuela funciona bem", sendo assim, com esse sistema que nos propõe total acriticidade, também sinto falta dos militares. Estudem para conhecer o referencial da democracia petista.
Quanto aos covardes anônimos que aqui comentam, peço a Deus que os ilumine, para que vejam a luz, e para que passem a ser alguém. Não apenas anônimos diante de tudo que acontece.
Viva Vereza, sorte ao Brasil.

Dan disse...

Concordo com voçe,Vereza.

Dan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dan disse...

Concordo tambem com os comentários a
favor dos militares brasileiros.
A ¨ditadura¨militar nos salvou de ditadura muito pior e garantiu nossa liberdade.

Anônimo disse...

Segundo estudos militares, o Brasil perde entre 12 e 14 bilhões de dólares/ano, pelo subfaturamento do Nióbio brasileiro, negociado no gabinete da Presidência da República com EUA e Inglaterra. 60% de nosso Nióbio sai oficialmente do Brasil e 40% gerando caixa 2 para pessoas e partidos.
Marcos Valério na CPI dos Correios, disse na TV que "o grosso do dinheiro do mensalão vinha do contrabando de Nióbio" e que "o min. Zé Dirceu, negociava uma mina de Nióbio em S. Gabriel da Cachoeira c/ bancos estrangeiros". Ninguém teve coragem de investigar. Alguém entende agora, como é que filho de presidente fica milionário de um dia para o outro?".
Raposa Serra do Sol e Yanomâni são ríquissimas em Nióbio, e já estão entregues às mineradoras da Anglo American e Rio Tinto. Basta checar.