Carlos Vereza

Loading...

MENU

Navegue pelas veredas do Vereza clicando nas opções abaixo:

quarta-feira, 26 de março de 2014

BANALIDADE DO MAL.



Nem Hanna Arendt, em sua tese "Banalidade do Mal", conseguiria absolver o simulacro de ser humano que é o coronel reformado Paulo Malhães. Ainda que ele fosse "apenas" um elo final, cumpridor de ordens, o requinte de detalhes na execução da sua, digamos, tarefa, excede o mais sinistro carrasco nazista. Não bastasse a tortura a que foi submetido o deputado Rubens Paiva, as seguidas violações de seus restos mortais, não encontra similar, mesmo entre os povos mais primitivos do planeta. Faz-se imprescindível a desaprovação pública de militares honrados, que não compactuaram com esta barbárie, que é uma triste exceção a imagem que a nação preserva das Forças Armadas.

domingo, 23 de março de 2014

VARIAÇÕES SOBRE PETRALHAS E BARBÁRIE!

Encerro minhas considerações e náusea sobre o julgamento do mensalão: Teori e Barroso modificaram a condenação por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
O aparelhamento do STF significa o domínio total dos três poderes.
Nada de novo na estratégia gramscista de manipulação da sociedade.
Inesquecível a "atuação"do decano Celso de Mello, a meu ver, o grande culpado,
por votar a favor dos embargos infringentes, o que possibilitou um novo julgamento.

Creio que as manifestações pela derrubada da quadrilha petista, não deveriam apelar para a intervenção militar. Elas devem reivindicar a democracia e focar nas denúncias à corrupção e incompetência dos desgovernos petistas. Sabemos que os militares atuais nada têm em comum com os que deflagaram o Movimento de 64, mas o cinismo da quadrilha petista, acusa, os que são contra ela, de propugnar "a volta" da ditadura militar. Os verdadeiros democratas, são acusados de direitistas, como se o fato de ser contra um grupelho, que tem como objetivo a permanência indefinida no poder, fosse um comportamento típico de "reacionários". Haja cinismo!

Os militares honrados, e são a maioria, deveriam emitir uma nota de repúdio, ao coronel que narrou em detalhes, a barbárie por ele cometida aos restos mortais do deputado Rubem Paiva. Nem os animais mais selvagens cometem atrocidades semelhantes. Pela lei de sobrevivência, abatem outros animais, mas jamais o seviciam, como fez este desqualificado "ser humano"!

Carlos Vereza.

quinta-feira, 13 de março de 2014

PIADA DE SALÃO!

Fim do julgamento do Mensalão. Fim em todos os sentidos. Teori e Barroso não tiveram o pudor de declarar impedimento sabendo-se que não participaram da primeira fase do processo.

Delubio Soares tinha razão ao dizer (sic) que o Mensalão acabaria como piada de salão.
Brasil, um país de trouxas. Com a próxima saída de Joaquim Barbosa o aparelhamento do STF
pode ser creditado como vergonhosa "vitória" do governo mais corrupto em toda a história deste país.

Pelo visto, antes do final do ano, a quadrilha petista estará em liberdade para cometer outros atentados ao erário público.

Enquanto isso, a Petrobrás e Eletrobras despencam suas ações no mercado internacional.

Carlos Vereza.

APARELHAMENTO.

Levei um tempo para "codificar" a manipulação visando absolver, por formação de quadrilha, a cúpula petista no julgamento do mensalão.

Impressionante o cinismo dos ministros ao perceberem que a contagem dos votos anulava a tese de formação de quadrilha.

Gargalhavam como hienas debochando do digno Joaquim Barbosa. A "estratégica" entrada de Teori Zavaski e Luiz Roberto Barroso, cumprindo ordens, foi o suficiente para livrar o bando da prisão em regime fechado.

Sobre Lewandowiski e Toffoli, nenhum comentário. Jamais fizeram questão de esconder que eram extensões do PT travestidos de Ministros da mais alta Corte de justiça do país.

A teoria Gramscista de ocupação do Estado completou-se com o aparelhamento do STF. Resta-nos
a esperada consciência cívica no dia das eleições.

Carlos Vereza.