Carlos Vereza

Loading...

MENU

Navegue pelas veredas do Vereza clicando nas opções abaixo:

sábado, 21 de novembro de 2009

2010: Cristais quebrados

Não é necessário ser profeta, para revelar antecipadamente o que será o ano eleitoral de 2010. Ou existe alguém com tamanha ingenuidade para acreditar que o "fascismo galopante" que aparelhou o estado brasileiro, vá, pacificamente, entregar a um outro presidente, que não seja do esquema lulista, os cargos, as benesses, os fundos de pensão, o nepotismo, enfim, a mais deslavada corrupção jamais vista no Brasil? Lula, já declarou, que (sic) "2010 vai pegar fogo!". Entenda-se por mais esta delicadeza gramatical, golpes abaixo da cintura : Dossiês falsos, PCC: "em rebelião", MST convulsionando o país... Que a lei de Godwin me perdoe - mas assistiremos em versão tupiniquim, a Kristallnacht, A Noite dos Cristais que marcou em 1938 o trágico início do nazismo na Alemanha. E os "judeus", serão todos os democratas, os meios de comunicação não cooptados (verificar mais uma tentativa de cercear a liberdade de expressão no país: em texto aprovado pelo diretório nacional do PT, é proposto o controle público dos meios de comunicação e mecanismos de sanção à imprensa). Tudo isso para a perpetuação no poder de um partido que traiu um discurso de ética e moralidade ao longo de mais de 25 anos e, gradativamente, impõe ao país um assustador viés autoritário. Não se surpreendam: Há todo um lobyy nacional e internacional visando a manutenção de Lula no poder. Prêmios, como por exemplo, o Chatham House, em Londres, que contou com "patrocínios" de estatais como, Petrobrás, BNDS e Banco do Brasil, sem, até agora uma explicação convincente por parte dos "patrocinadores"; matérias em revistas estrangeiras, enaltecendo o "mantenedor da estabilidade na América Latina". Ou seja: A montagem virtual de um grande estadista... Na verdade, Lula, é o übermensch dos especuladores que lucram como "nunca na história deste país". Sendo assim, quem, em perfeito juízo, pode supor que este ególatra passará, democraticamente a faixa presidencial, para, por exemplo, José Serra, ou mesmo, Aécio Neves? Pelo que já vimos de "inaugurações" de obras que sequer foram iniciadas, de desrespeito às leis eleitorais, do boicote às CPIs, como o da Petrobás, do MST e tantos outros "deslizes", temos o suficiente para imaginar o que será a "disputa" eleitoral em 2010. Confiram.

domingo, 8 de novembro de 2009

O sol e o sino

O boi. Arrasta-se. De vida Só o sino No pescoço. Esquálido. Transparente. No lugar do corpo, um osso. Um único e inacreditável osso. Cambaleia o boi. Tilintando o sino. De eco ou resposta Nenhum sinal. O sol não se pôe não se deita Espreita o boi "Saboreia" a precária colheita A terra abrasa queima. O osso tropeça teima. Um inaudível mugido o fim pressentido. As aves de rapina não rapinam. Numa inesperada delicadeza voejam em torno do boi formando uma nuvem negra como a protegê-lo do sol Pressentem o herói a luta a morte. O animal pára. Arqueja. Dobra as patas da frente. Acabou o sino a sina e a sorte. Uma costela fura o que era pele e como uma lança "protesta" ao mundo ao mudo e surdo mundo. Desaba a carcaça no Agreste. Triste Nordeste eterna dor eterna peste. Um vento sacode o sino ecoando em vão na terra incendiada. As aves, negras, respeitosamente retiram-se ante a aproximação de dois expectros que volitam e choram por mais um "causo" rotineiro: Euclides da Cunha e Antônio Conselheiro

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Névoas 6

Quero meus mortos de volta Não em formas ectoplasmáticas Quero-os de terno e gravata Não de sobrecasaca, que esses pertencem ao poeta. Quero meus mortos Humildes em volta de uma mesa suburbana brindando ao menino Jesus que há anos é colocado em seu presépio respeitosamente em cima da televisão. Desligada. A previsivel rabanada "A do dia seguinte é melhor" o tio que bebeu um pouco além da conta exaltando um passado que afinal não foi tão feliz como ele imagina. O brinde à meia noite harmonizando por um momento destinos familiares diversos e distantes. Precárias, mas nobres biografias. A castanha que não quebra e pula da mesa O vinho generoso e barato. O vizinho desejando feliz natal tentando uma alegria que ficou em algum lugar de um álbum de fotografias. A tia mais velha Enxugando uma lágrima Que teima em embaçar os óculos de grau forte Quero os meus mortos de volta Eternos enquanto dure a foto polaróide Olhando para a lente numa promessa de um encontro futuro. Depois as cadeiras vazias Névoas, apenas Mas de terno e gravata enquanto o óculos da tia mais velha de grau forte desfoca-se. Como a última imagem.

Névoas 5

Os artistas são almas quase perfeitas, mas conturbadas, porque não conseguem alcançar a angelitude e espatifam-se de encontro à realidade. Transitam, os verdadeiros, do sublime à sordidez. Estilhaços de emoções, relâmpagos que riscam os céus, lembranças inesquecíveis, apenas para os que tiveram corações abertos para entendê-los.

O Sal da Terra

Se todo o conhecimento desaparecesse da face da terra e restasse o Sermão da Montanha, a história da humanidade estaria salva.

Névoas 4

O que eu amo em Cristo, é, que ao contrário de todas as "certezas religiosas", Ele não nasceu pronto. Como nós, Ele foi igualmente uma Alma Gerada, talvez a primeira, mas que conseguiu pelos próprios Méritos a suprema honra espiritual de trazer à terra a Mensagem do Criador. Por incontáveis milênios precisou reduzir sua ilimitada luminosidade, para poder adentrar na crosta terrestre, e nos relembrar que somos partículas divinas.